terça-feira, 14 de outubro de 2014

Déjà Vu - Ciência X Espiritismo

Hoje estava conversando a respeito do fenômeno da Paramnésia (Deja Vu). Eu conhecia somente a visão Cientifica, mas sabia da existência de uma posição do Espiritismo a respeito disso. Foi ai então que resolvi pesquisar, conhecer mais sobre o assunto e trazer essas duas visões totalmente opostas a respeito disso pra vocês.

 CIÊNCIA X ESPIRITISMO



CIÊNCIA
Você já experimentou uma súbita sensação de familiaridade enquanto estava num lugar completamente novo? Ou o sentimento de que teve a mesma conversa com alguém antes?
Esta sensação de familiaridade clara é conhecida como déjà vu (termo francês que significa ‘já visto’) e é relatado que ocorre de forma ocasional com 60-80% das pessoas. É uma experiência quase sempre transitória e que ocorre de forma aleatória.
Então, o que é responsável por estes sentimentos de familiaridade?
O déjà vu em indivíduos saudáveis é relatado como um erro na memória que pode expor a natureza do sistema de memória. Alguns pesquisadores especulam que o déjà vu ocorre devido a uma discrepância no sistema de memória levando à geração inapropriada de uma memória detalhada sobre uma nova experiência sensorial.
Isto é, a informação se desvia da memória de curto prazo e alcança a memória de longo prazo.
Isto implica que o déjà vu é evocado por uma incompatibilidade entre a entrada sensorial e a saída da recordação da memória. Isso explica por que uma nova experiência pode parecer familiar, mas não tão tangível como uma memória totalmente recordada.
Porém, até agora não há uma explicação por que ocorre o déjà vu, mas os avanços nas técnicas de neuroimagem podem ajudar nossa compreensão da memória e os truques que nossa mente prega em nós.

ESPIRITISMO

Para os conceitos espíritas, tudo o que vemos e nos emociona, agradável ou desagradavelmente, nesta e nas encarnações pretéritas, fica gravado em alguma parte do cérebro perispiritual e, em algumas ocasiões, a paramnesia emerge da consciência desperta. Pode, também, ser uma manifestação mediunica se o médium entra, em dado momento, em um transe ligeiro, sutil, e capta a projeção de uma forma-pensamento emitida por um espírito desencarnado.

A tese da reencarnação é difunfida há milhares de anos. No Egito, por exemplo, um papiro antigo diz "o homem retorna a vida várias vezes, mas não se recorda de suas pretéritas existências, exceto algumas vezes em sonho. No fim, todas essas vidas ser-lhe-ão reveladas."

O Déjà Vu pode até mesmo ser uma lembrança real, de algo vivido durante o sono fora do corpo, ou antes da atual encarnação. Sim, muitas vezes sabemos o que nos espera no futuro, apesar de agirmos sobre ele e o modificarmos no presente.

Nem sempre se trata de uma fantasia, às vezes se trata de uma lembrança genuína: estivemos em tal lugar em outra existência ou durante o desdobramento.
Fonte: http://www.epochtimes.com.br/cientista-buscam-explicar-deja-vu-como-isso-acontece/#.VD3GuPldWsE
http://espiriteiro.blogspot.com.br/2010/05/deja-vu-e-um-fenomeno-instigante.html
http://psicologiaespirita.blogspot.com.br/2009/01/dja-v.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário